Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Diário Medicina Preventiva

Uma intensa viagem pelo dia-a-dia de uma estudante de Medicina e, além disso, algumas indicações sobre a importância da prevenção para preservarmos a nossa saúde.

Diário Medicina Preventiva

Uma intensa viagem pelo dia-a-dia de uma estudante de Medicina e, além disso, algumas indicações sobre a importância da prevenção para preservarmos a nossa saúde.

17.Mai.11

MAIS BENEFÍCIOS DO CAFÉ

 

Um estudo recentemente publicado no “Breast Cancer Research" vem sugerir que as mulheres que bebem café regularmente têm menor risco de desenvolverem cancro da mama. Os investigadores do instituto sueco Karolinska descobriram que o café tem um efeito protector no desenvolvimento de um tipo de tumores, os negativos para receptores de estrogénios (ER-negativos), ou seja, que não dependem da estimulação hormonal (estrogénios) para o seu crescimento. 

O estudo teve uma amostra de 5,929 mulheres suecas, entre os 50 e os 74 anos, sendo que cerca de metade tinha cancro da mama, e pretendia avaliar a relação entre os estilos de vida (tabagismo, hábitos cafeínicos, ...) e o cancro da mama.

As mulheres que bebiam cerca de cinco chávenas de café por dia tinham um risco entre 33 e 57% mais baixo de ter cancro da mama (tipo ER-negativo) do que aquelas que consumiam menos de um café diário.

No entanto, fica por explicar a verdadeira causalidade deste estudo, tal como o motivo pelo qual se verifica esta associação.

 

 

Mas uma vez mais serve para acabar com o mito de que o café faz mal. Excepto uma população muito específica que não deve beber café (ex: doentes com crises hipertensivas, doentes com arritmias cardíacas ou úlceras), para a maioria da população o café não só não é nocivo, como tem vindo a ser provado ter diversos efeitos benéficos:

 

- diminui o risco de cancro do fígado

- diminui o risco de doenças neurodegenerativas (Parkinson e Alzheimer)

- diminui o risco de diabetes mellitus

E curiosamente quanto maior o consumo, maior a protecção para estas doenças.

 

Também durante a gravidez não há uma contra-indicação formal, como existe em relação ao tabaco ou ao álcool. Só o excesso será deletério, pelo que 2 ou 3 cafés diários não parecem trazer qualquer risco à mãe ou ao feto.